Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Casa da Cabrita

A Casa da Cabrita

Já lavei roupa. Não encolheu, mudou de cor ou desapareceu. Mas não levou detergente porque, com tanta concentração de acertar com o programa, me esqueci dessa pequena parte fundamental. Não há espiga, aquela máquina já deve ter engolido tanto detergente que a minha roupa veio toda cheirosa.Verdade seja dita, hoje foi a primeira ida à casa das máquinas, e também não me aventurei muito. Olhei para a máquina de secar, a máquina do diabo, mas não tive coragem de a usar. Um dia mais tarde, quando não tiver medo que o meu pijama vire roupinha de Nenuco, experimento.

Já me tinha esquecido de quão cansativo é viver sozinho. Não há ninguém para limpar, varrer, lavar as coisinhas, somos só nós. Mãe, pai, avós, família e amigos em geral (que todas as mãos são boas), venham que estão perdoados!

3 comentários

Comentar post