Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Casa da Cabrita

A Casa da Cabrita

18.02.20

Temos de gritar Amor mais alto

Rita
Ontem comentei com o meu namorado o caso do Marega. Partilhei com ele a vergonha e revolta que sinto, não podendo, de todo, tentar compreender a dor e revolta que ele sentiu e sente. Pelos vistos, há uns dias aconteceu algo semelhante na Alemanha. Mas em bom.  No passado Domingo, no jogo entre SC Preußen Münster e Würzburger Kickers, um adepto decidiu fazer sons de macaco quando o jogador Leroy Kwadwo se aproximou da linha lateral. Não só o jogador identificou o animal em (...)
14.02.20

Coisas estranhas que os alemães acham perfeitamente normal

Rita
Já moro em Estugarda há 10 meses. E morei mais de um ano em Berlim. E há uma lista de coisas às quais não me consigo habituar e que, para os alemães, é o pão nosso de cada dia: 1. As pessoas olham. Eu fui educada por pais fantásticos que repetiram até à exaustão frases como "Rita, não se aponta!"  e "Rita, não olhes assim para as pessoas!". Mas, claramente, isto não é prática comum na Alemanha. Eles olham. E não é olhar para alguém fora do comum, ou que chame à (...)
11.02.20

Eu sou católica e aceito a eutanásia

Rita
Durante muitos anos, fui à missa todos os Domingos com a minha avó. Aos sábados tinha 1h de catequese. Fui escuteira. Fui batizada, fiz a primeira comunhão e a profissão de fé. Até fiz parte de uma tuna religiosa, onde aprendi a tocar cavaquinho. Mas sempre tive dificuldade em acreditar nos testamentos, na história, nas crenças. Aquilo parecia-me, e parece-me, tudo questionável. Felizmente, sempre tive catequistas e um padre que apoiavam a minha vertente crítica. Que me (...)
23.01.20

Só podia ser #9

Rita
Alguém se lembra dos "Só podia ser"? São uma colectânea de coisas que só podiam ser (e esta explicação espectacular?). Melhor, são relatos de experiências que, tendo em conta a minha personalidade e (falta de) jeitinho, só podiam acontecer. Quem é que tinha saudades de ficar ligeiramente mais feliz com a sua vidinha ao ver os disparates da minha? Em Dezembro fiz 25 anos e precisei de levar um bolo para a empresa. O DRAMA. Eu não sou espectacular na cozinha. Contudo, quando (...)
22.01.20

Até já, Pipa

Rita
Normalmente escrevo no blog para me divertir. Para meter um cunho mais humorístico e satírico em momentos do meu quotidiano. Há 5 meses que deixei de ter vontade de me divertir. Alguém, muito especial, faleceu repentinamente. Foi/é dificil de lidar com esta realidade de dizer adeus a alguém que tinha demasiado por viver. Esta pessoa tornou-se essencial na nossa família. Interessava-se por nós, falava abertamente dos desafios que tinha na vida dela e utilizava qualquer tipo de (...)
08.06.19

Ai que comprar um sofá é tão giro...

Rita
... nunca ninguém disse tal coisa. Aliás, existe apenas uma parte gira de ir ver sofás, e é o experimentar. Mas logo depois do prazer de experimentar, cometemos o erro de olhar para o preço e temos que esconder as lágrimas.  A quantidade de cores, tamanhos, tecidos, modelos, funções e preços que um sofá pode ter, mete nojo. Nojo. E existem tantas lojas por onde escolher! Eu sei que isto é claramente um First World Problem, mas escolher o sofá foi a pior coisinha desta (...)
18.05.19

Esta vida de IKEA está a dar cabo de mim

Rita
O IKEA é aquele espaço que sempre adorei visitar. Porque significa comida boa (ou cachorros a 0,50 cêntimos) e um passeio por uma exposição maravilhosa onde podemos imaginar como a nossa casa de sonho poderia vir a ser. Com alguma sorte até comprava alguma coisa! Verdade seja dita, tive sempre uma razão para ir ao IKEA. Comprar uma cómoda, comprar uns acessórios, comprar cebola frita, etc. Coisas leves, coisas fáceis. Atividade para uma manhã de sábado, no máximo. E eu sempre (...)
09.05.19

Estão a ver quando querem muito uma coisa?

Rita
Estou na fila do Santini. Final de tarde espectacular. Está fila, mas aguenta-se. Afinal, é gelado do Santini. Penso no sabor que quero. Uva branca. Está escolhido. Não vou escolher, pela milésima vez, o doce de leite. Já provei, é maravilhoso e nunca desaponta, mas preciso de coisas novas. Espero mais um pouco. Finalmente, chego à caixa e faço o pedido. Dirijo-se ao balcão. Entrego o talão. Peço o sabor que quero. Recebo o gelado. Olho para o sabor doce de leite. Será que (...)
05.05.19

Dia da Mãe

Rita
Recebi feedback muito positivo deste meu retorno. Tenho mil e uma coisas para partilhar sobre esta mudança. O porquê (que, surpreendentemente só consegui realmente compreender quando cá cheguei), o como, as dificuldades, as pequenas vitórias, os sustos, as palhaçadas, os desastres na cozinha (já estão cheios de saudades, não é?) e toda uma panóplia de aventuras. Mas isso vai ter tudo que esperar. Porque hoje é o dia da mãe.    A minha mãe não é a minha melhor amiga. É (...)
04.05.19

Não há duas sem três

Rita
Há dois anos e 12 dias, estava aqui a agradecer a todos os que me liam. E depois desapareci. Porque tive que me concentrar na tese, porque voltei para Portugal, porque comecei a trabalhar, porque mil e uma coisas. A vida dá muitas voltas. E dei por mim de volta à Alemanha. Não há duas sem três, não é verdade? Voltei com um espírito diferente, com ambições diferentes, com medos diferentes e para uma cidade diferente. Mas, como sempre suspeitei, voltei. Pensei muitas vezes em (...)